Harley, o gato de 20 anos de Kathy Harrigan, foi encontrado mutilado no jardim de um vizinho, este fim de semana. Foi o sétimo animal encontrado morto e mutilado nos últimos meses no estado norte-americano de Washington. As autoridades dizem que há um assassino em série de gatos na região.

O gato de Kathy Harrigan foi encontrado morto em Olympia, sem coluna vertebral. Menos de 48 horas depois de Harley ter sido encontrado, uma gata chamada Olly apareceu morta a apenas um quilómetro de distância. A gata foi estrangulada antes de também ter sido mutilada.

Casos semelhantes a estes registaram-se, nos últimos tempos, noutras cidades do estado de Washington.

Callie, a gata de Patrick e Angie Swan, foi encontrada mutilada no início de julho, depois de ter desaparecido. Também neste mês foi encontrado um outro gato cortado ao meio num parque público em Port Angeles, que Debbie Drake reconheceu como sendo Tarot, o seu gato.

As autoridades acreditam que os casos estão ligados e abriram uma investigação para identificar o assassino.

Erika Johnson, que investiga casos de crueldade animal no condado de Thurston, disse, em declarações ao Q13, que os cortes nos animais são muito limpos para que as mortes sejam meramente acidentais. Mais, foi encontrada uma luva cirúrgica ao lado do corpo de um dos gatos.

Não é normal e é um comportamento muito doentio", acrescentou a investigadora.

Os habitantes da região, que estão a ser avisados para manterem os animais de estimação dentro de casa, temem que o assassino em série seja também perigoso para os humanos.

Existe uma recompensa de mais de 2.500 euros por informações sobre o suspeito.

Entretanto, os investigadores esperam conseguir alguns avanços através de amostras de ADN recolhidas nas garras de Olly.  

Uma investigação da jornalista Karin Brulliard, do Washington Post, revelou, em 2016, que alguns condados dos Estados Unidos têm registos dos agressores de animais da mesma forma que têm para os agressores sexuais. Esses dados estão em sites geridos pelo município e podem ser consultados pelos cidadãos.