As forças policiais da Malásia acusaram 10 turistas ocidentais, que se despiram numa montanha considerada sagrada, de causar um terramoto que matou mais de 16 pessoas.

O ministro chefe do estado de Sabath – local onde o sismo teve lugar – e alguns membros da comunidade indígena culpam os turistas pela catástrofe, dizendo que as suas brincadeiras despertaram o espírito da montanha.

Cinco dos turistas ainda estão na Malásia e vão ser notificados pela polícia. Entre os acusados estão dois canadianos, dois holandeses e um alemão.

O terramoto com uma magnitude de 5.9 na escala de Richter teve lugar perto da montanha Kinabalu, uma semana depois de os turistas terem tirado fotos despidos no local.