Um empresário britânico prometeu nunca mais voltar a um hotel de cinco estrelas no centro de Londres, depois de ter pago 75 libras (94 euros) por três garrafas de água pequenas, que na loja custam cerca de 75 cêntimos.

Edward Heaton escolheu o luxuoso hotel, Wellesley, para uma reunião com um cliente numa tarde de calor e, em vez de chá ou café, pediu três garrafas de água. Tratando-se de um hotel de cinco estrelas, Heaton não esperava pagar um euro por garrafa, mas também nunca anteviu as 75 libras que teve de pagar.

«Eu reuni-me com um cliente num hotel. Quando nos sentámos, uma empregada perguntou o que desejávamos tomar, estava muito calor e pedimos três garrafas de água. Não vimos nenhum menu, pedimos diretamente, bebemos e pedimos a conta. No final, paguei 75 libras por três garrafas de água», disse Heaton ao «Daily Mail».

«Achei demasiado e perguntei educadamente se o valor estava correto e a empregada respondeu que sim, que "existe um consumo mínimo de 25 libras (31 euros) [por pessoa] após as quatro da tarde"», contou.

A conta dividia-se em três partes: as três garrafas de água, que custavam 16,5 libras, a taxa de consumo obrigatório, mais 50,17, e uma taxa de serviço, no valor de 8,33 libras. Tudo somado chega-se às 75 libras pagas por Heaton.





Edward, dono da imobiliária «Heaton and Partners», não quis «fazer uma cena» na altura, e pagou, mas contactou o hotel mais tarde, que, segundo o empresário, se recusou a fazer qualquer reparo à situação.

O hotel garante que todos os clientes são informados dos preços, ainda que Heaton também diga que não recebeu qualquer informação por parte da empregada de mesa.

Edward partilhou a sua história na sua conta de Twitter, com uma fotografia da conta, e recebeu uma resposta do hotel que promete melhorar o seu serviço no futuro, certificando-se que todos os clientes são informados da política do bar.

«Por 75 libras podíamos ter bebido um bom copo de vinho cada um, ou uma garrafa de champanhe. Mas três garrafas de água? Não fiquei chateado, apenas confuso», afirmou Heaton.