Uma mulher, que se queixava de dor e inchaço no olho, descobriu que tinha uma lente de contacto "esquecida" no olho esquerdo há 28 anos.

O caso aconteceu a uma mulher britânica, de 42 anos. Tudo começou com uma espécie de caroço do tamanho de uma ervilha por baixo da sobrancelha esquerda. A saliência acabou por crescer e, num período de seis meses, fez com que a pálpebra esquerda da mulher tivesse descaído.

A britânica foi ao oftalmologista. Inicialmente, o médico achou tratar-se de um quisto, mas, depois, a intervenção cirúrgica revelou algo surpreendente.

Os especialistas encontraram uma lente de cotnacto rígida e intacta alojada no olho, como se o tecido ocular tivesse encapsulado o objeto. Depois de retirarem a lente verificaram que esta estava racahada e lascada. Mais, o tipo de lente encontrado no olho não é fabricado há 28 anos.

A mãe da mulher lembrou aos médicos um incidente que pode explicar o que aconteceu: quando a filha tinha 14 anos usava este tipo de lente e sofreu um acidente enquanto jogava badminton, tendo sido atingida no olho esquerdo por um volante. Depois da lesão, a jovem não voltou a utilizar lentes.

Na altura, a lesão curou-se rapidamente e a família assumiu que a lente tinha saído do olho. E durante mais de duas décadas nada indicava que a lente permanecia no olho da mulher.

Os sintomas sentidos quando uma lente de contacto está presa no olho são dor aguda ou áspera, sensibilidade à luz e vermelhidão. Nenhum deles foi sentido pela jovem depois de recuperar da lesão.

Após a intervenção cirúrgica e a remoção da lente de contacto, a britânica não voltou a ter queixas.