Uma fotografia tirada por Sarah Gallagher enquanto caminhava no parque britânico Lake District originou uma investigação policial que durou dois dias. Tudo porque a mulher de 45 anos pensou que se tinha fotografado um braço humano a boiar na água e, após ter dado o alerta, as forças de segurança deram início a buscas por um cadáver humano. 

Segundo o jornal britânico The Guardian, a autora da fotografia acabou por se sentir "um pouco idiota" depois de a operação policial ter concluído que o que parecia ser um braço humano era afinal um tronco de uma árvore.

Sentei-me e tirei a máquina fotográfica para fora e experimentei o zoom. Vi uma lontra e depois vi essa 'coisa'", afirmou Sarah Gallagher, acrescentando que "a primeira coisa que pensei foi 'oh meu Deus, é o braço de alguém. Pertence a uma pessoa, é um braço humano'".

Quando regressou a casa do passeio, Sarah olhou atentamente para a imagem que tinha tirado e ficou chocada ao perceber que tinha fotografado um cadáver a flutuar. A mulher diz que não viu outra alternativa que não fosse alertar as autoridades em South Cumbria, que concordaram que se tratava de um braço humano e deram início às buscas.