O fabricante norte-americano de cereais Kellogg Co anunciou que foi aberta uma investigação criminal para apurar responsabilidades, depois de ter sido divulgado um vídeo de um funcionário a filmar-se a si próprio a urinar sobre a linha de produção de uma fábrica e mostra o logotipo da empresa.

A Kellogg refere que soube do vídeo na sexta-feira, quando foi publicado no site World Star Hip Hop, e de imediato alertou as autoridades policiais e sanitárias.

De acordo com a Associated Press, a investigação criminal está a ser conduzida pela Food and Drug Administration norte-americana.

Ainda não há um suspeito identificado. Depois de abrir uma investigação interna, a companhia apurou que o vídeo foi captado há dois anos na fábrica em Memphis, Tennessee.

AVISO: O vídeo pode perturbar os leitores mais sensíveis

O caso remonta a 2014, ano em que as produções à base de arroz de cereais para pequeno-almoço infantis, barrinhas de cereais e bolachas foram contaminadas sem que a marca tivesse conhecimento.

Os produtos em causa, da linha Rice Krispies Treats e outros artigos que a marca já não produz, não foram, por isso, retirados do mercado na altura. Atualmente, os produtos que poderão ter sido atingidos são poucos e já passaram o prazo de validade, garantiu a empresa.

“A Kellogg’s leva esta situação muito a sério. Estamos chocados e profundamente desapontados com este vídeo”, disse um representante da marca, citado pelo jornal Metro.