Voltou às páginas dos jornais britânicos, de um momento para o outro. Jane Park fora notícia há quatro anos quando apostou pela primeira vez no Euromilhões. Aí, bingo, como se costuma dizer: ganhou um milhão de libras, cerca de 1,2 milhões de euros, e não se mostrou aborrecida com isso.

Agora, sim. Jane Park, enquanto vai mostrando filmes e fotos suas, mais ou menos ousadas, nas redes sociais, além de adereços como malas Louis Vuitton, sapatos Louboutin e todo um rol de marcas que só o muito dinheiro pode comprar, apresenta-se também como uma pessoa desiludida.

Ao jornal Mirror, Jane confessa que o muito dinheiro lhe estragou a vida umas dez vezes.

Às vezes, parece-me que ter ganho arruinou a minha vida", desabafou a rapariga, curiosamente na mesma semana em que responde em tribunal, na cidade escocesa de Edimburgo, por conduzir com álcool a mais.

Jogo só em idade adulta

A insatisfação de Jane está a levá-la a ponderar processar a empresa Camelot, que gere o Euromilhões na Grã-Bretanha. Não lhe devendo faltar dinheiro para avançar com a ação judicial, a rapariga considera que a idade legal para se poder apostar devia ser alterada. Daí achar que houve negligência para consigo.

A minha vida seria mais fácil se não tivesse ganho. As pessoas olham para mim e pensam: quem me dera ter o lifestyle dela. Mas não percebem a extensão do meu stress", confessou Jane.

Para Park, a idade legal de 16 anos para se poder apostar no Reino Unido é demasiado permissiva e inconveniente. É o que diz agora, quatro anos após ter ganho um milhão de libras.

Sucede que a alteração deste dispositivo legal é algo que depende do parlamento britânico. E há também a posição da empresa que gere as apostas. Ao jornal The Independent, um porta-voz afirmou que Jane Park teve "apoio intenso" de um "conselheiro para vencedores", que a visitou em casa, a aconselhou sobre a melhor forma de depositar o dinheiro e a acompanhou quando ela quis falar publicamente do que tinha ganho.