Rainha posta, rainha posta a andar...

Itir Esen, de 18 anos, modelo e estudante universitária, nem teve tempo para saborear o título de mais bela da Turquia e consequentemente viajar até à China para o concurso de Miss Mundo. Horas após a coroação, a organização do concurso destituiu-a, por considerar "inaceitável" um comentário da jovem na rede Twitter.

Em julho, no dia 15, cumpria-se um ano sobre a propalada intentona militar levada a cabo em 2016 para destituir o presidente Erdogan. Lembrava-se a morte de 250 pessoas que se tinham oposto aos revoltosos.

Apareceu-me o período na manhã de 15 de julho. Assinalo o dia a sangrar como representação do sangue dos mártires", terá escrito a jovem modelo num tweet, que entretanto foi apagado.

Itir Esen jurou nada ter escrito e que a conta não era sua. Sem sucesso. A organização do concurso afirmou em comunicado que só teve conhecimento da publicação após o certame e que levou "horas" a determinar que era da jovem.

É com tristeza que anunciamos que chegámos à conclusão que o tweet foi publicado por Esen. Não é possível que a Miss Turquia, cujo objetivo é o de promover o país pelo mundo e contribuir para a sua boa imagem, aceitar tal publicação", salientou a organização em comunicado.

Itir Esen reinou assim, nem 24 horas. Para o concurso de Miss Mundo, avança pela Turquia a segunda classificada. É Asli Sumen. Tem 23 anos e 1,72 de altura. E logo se verá se estará à altura. Na China.