Duas escolas italianas de Aquila proibiram os saltos altos a alunas, professoras e funcionárias. No Istituto Tecnico Industriale di Avezzano e na Academia de Belas Artes não se pode andar com sapatos com mais de quatro centímentros de tacão.

A circular está a ser recebida com alguma perplexidade, quer pela população estudantil, quer pelo corpo docente. Segundo a agência noticiosa Ansa, a medida é justificada pelos responsáveis das escolas por questões de segurança. “Segurança no trabalho”, explicam, e, com isso, fomentam a saúde da população escolar, dado o número de lesões provocadas pelos saltos altos.

Há ainda outra razão que leva a esta tomada de posição. Aquila é uma região propensa a sismos, logo, fugir de saltos altos não é muito fácil.

O dress code das escolas ganha, assim, mais uma alínea, para além da proibição das minissaias e das calças de cintura baixa.