As autoridades da Austrália deram hoje início a um inquérito sobre uma escola islâmica que terá proibido as raparigas de participarem em corridas por recearem que «percam a virgindade».

Em comunicado, o ministro da Educação do estado de Victoria, James Merlino, afirmou ter pedido «à autoridade reguladora para abrir um inquérito» relativo a uma situação «muito preocupante», caso se comprovem as acusações.

Um antigo professor da escola Al-Taqwa de Melbourne escreveu, esta semana, ao Governo federal e do estado de Victoria para acusar o diretor, Omar Hallak, de acreditar «que se as mulheres correrem excessivamente podem perder a virgindade», noticiou o jornal The Age.