A jovem de 18 anos, Laura Baty apanhou, no sábado, um susto que tão cedo não irá esquecer. A adolescente, empregada de balcão no Hotel Buck Inn, em Richmond, Reino Unido, preparava-se para devolver troco a um cliente, quando um cigarro eletrónico explodiu muito perto de si.

O cigarro, que pertencia a um outro funcionário, estava a carregar no iPad de um colega.

«Eu estava prestes a devolver o troco e de repente ouvi um estrondo. Consegui ver o fogo a vir na minha direção e comecei a correr», explicou Baty ao jornal britânico «Daily Mail».

«Comecei a chorar histericamente e o meu braço ficou todo preto. O meu vestido foi apanhado pelo fogo. Fugi dali sem perceber o que tinha acontecido. Um cliente veio ter comigo à casa de banho e acalmou-me», acrescentou a jovem.

Stewart Paterson, de 21 anos de idade, proprietário do cigarro eletrónico, explicou ao «Daily Mail» o que se passou.

«Coloquei o e-cigarro a carregar no meu iPad, como já o tinha feito vezes sem conta. Estou a usar este tipo de cigarros desde o Natal e noto, realmente, uma diferença. Vou continuar a utilizar os cigarros eletrónicos, mas não da empresa "Totally Wicked"».

«Quando a bateria explodiu, uma peça soltou-se e ainda atingiu outra pessoa no estômago. Deixou marca», conclui Stewart.

O momento ficou registado em vídeo.