Chama-se chessboxing e é um desporto híbrido que junta duas modalidades desportivas completamente diferentes: boxe e xadrez.

O criador da modalidade desportiva, Lepe Rubingh, inspirou-se na banda desenhada «Froid Équateur», cuja ação decorre em 2096 e os habitantes praticam diversos jogos.

O desporto funciona da seguinte forma: os jogadores posicionam-se no ringue e começam primeiro no tabuleiro de xadrez e, quatro minutos depois, abandonam o tabuleiro, calçam as luvas e combatem durante três minutos e regressam novamente ao tabuleiro. O jogo só termina por xeque-mate ou K.O.

Embora possa ser visto como um desporto um pouco estranho, a verdade é que tem tido cada vez mais seguidores. É o caso da Índia, que já reúne mais de 300 pugilistas nacionais.

Aos 27 anos, Shailesh Tripathi tornou-se a primeira indiana a participar no Campeonato Mundial de Chessboxing que se realizou no dia 28 de novembro de 2012 em Moscovo, na Rússia.

«Para mim é o desporto perfeito: uma combinação de esforço físico e destreza mental, de músculos e massa cinzenta», contou à BBC Shailesh.

De acordo com os dados da organização «WCBO», cerca de 30% dos jogadores de chessboxing na Índia são mulheres.

Lepe Rubingh espera que, tal como outros desportos híbridos, o chessboxing possa também ele vir a competir um dia nos Jogos Olímpicos.