O queniano Paul Mutora, de 24 anos, provocou pânico num hospital local ao acordar na morgue, um dia depois de ter sido dado como morto após uma tentativa de suicídio. O insólito aconteceu no dia 9 de janeiro, noticia a AFP.

«O paciente foi salvo mesmo antes de ser embalsamado», anunciou o diretor do hospital do distrito de Naivasha, Joseph Mburu.

Paul Mutora tinha sido levado para o hospital em estado crítico depois de ter ingerido inseticida após uma discussão com o pai.

Ao ser transferido para a emergência, o paciente recebeu um medicamento que lhe diminuiu o ritmo cardíaco. O efeito da atropina leva à diminuição da frequência cardíaca, além de provocar a dilatação das pupilas, o que pode «ter induzido a equipa médica ao erro», considerando que estava morto e transferindo-o para a morgue, explicou o médico.

No dia seguinte, a equipa médica ouviu barulhos que pareciam ser do «cadáver» na morgue. Ao constatarem que o homem estava acordado, os funcionários fugiram assustados.

«Foi erro meu desde o primeiro momento. Peço perdão», declarou Paul Mutora, que ainda está em convalescença.