O júri no julgamento de um publicitário britânico acusado de agressão sexual teve que ser dispensado pelo tribunal, esta quarta-feira. Os jurados não conseguiram parar de rir por causa da referência de uma testemunha ao pénis de pequeno tamanho do réu.

Max Clifford, o réu em causa, é um publicitário acusado de agredir sexualmente sete mulheres, incluindo a que depôs esta quarta-feira. A mulher acusou o réu, atualmente com 70 anos, de a ter molestado na década de 1980, quando ela estava a tentar fazer carreira como modelo.

De acordo com o «The Guardian», a mulher afirmou que, quando tinha 17 anos e estava a tentar entrar no mundo da moda, Max Clifford se aproveitou dela, apalpando-a, masturbando-se e ejaculando sobre ela em troca de um papel num filme de James Bond.

De acordo com o depoimento da testemunha, Max Clifford, que já afirmou ter dormido com Diana Ross, é tão pouco dotado que até mesmo as vítimas fazem piadas sobre o tamanho do pénis dele.

No depoimento, a mulher disse que, na altura, pensou que Clifford era bem dotado e que o pénis dele era muito grande: «Eu só tinha visto um antes, e nunca tinha visto nenhum de forma tão próxima e naquela situação».

O tribunal ouviu alegações de que o pénis de Max Clifford é «pequeno» e não tem mais do que seis centímetros quando está ereto. Quando Richard Horwell, advogado de defesa, interrogou a testemunha sobre o assunto, a mulher respondeu: «Eu tenho uma boca pequena, o meu dentista sempre me disse».

Nesse momento, o juiz teve que dispensar o júri durante «alguns minutos» para que pudesse recompor-se. «É inevitável num caso que lida com este tipo de detalhes que os membros do júri desatem a rir», disse o magistrado.