Um voo da United Airlines que fazia ligação entre Newark e Denver, nos Estados Unidos, teve de ser desviado para Chicago devido a um conflito entre dois passageiros. Em causa estava o lugar de repouso para as pernas.

Um homem utilizou um bloqueador para evitar que o banco da frente pudesse ser reclinado, de forma a proteger os seus joelhos contra um «impacto inesperado». A passageira, sentada à sua frente, não gostou de ter de fazer a viagem sentada sem poder inclinar o banco para trás, e decidiu reclamar.



De acordo com o «Washington Post», o aparelho em questão tranca o banco a partir do apoio da mesa situado nas costas do assento. O passageiro que aí for sentado fica totalmente impossibilitado de mover o encosto.

A United Airlines e outras empresas norte-americanas já tinham proibido este tipo de bloqueadores e a Administração Federal de Aviação disse que o movimento dos bancos não pode ser limitado durante a subida, o trajeto ou a descida do avião.

A companhia aérea pediu ao homem que retirasse o aparelho de bloqueio, mas este recusou.

O clima aqueceu e a mulher, incomodada por não se poder encostar, atirou um copo de água para cima do homem. Nesse momento o piloto do avião contatou a torre de controlo do aeroporto de Chicago e pediu autorização para aterrar.

Ambos os passageiros não foram presos, mas tiveram de sair do avião. Os restantes continuaram a viagem até ao destino final, Denver.