São cilindros ou prismas retangulares? E os topos, são retângulos ou círculos? São as questões que ficam depois de ver a ilusão de ótica criada pelo professor japonês Kokichi Sugihar e que lhe valeu o segundo prémio no concurso de Melhor Ilusão do Ano.

No vídeo, as imagens são de prismas que são cilindros ou cilindros que são prismas, quando vistos no espelho. Ora, a confusão, que está a gerar discussão na internet, é explicada pelo autor, Kokichi Sugihar, como uma questão de perceção.

"Quando vimos diretamente um objeto e o reflexo no espelho, em simultâneo, as imagens podem gerar diferentes interpretações das formas em 3D”, explicou o criador da ilusão, citado pelo The Telegraph

A ilusão, batizada de “cilindros ambíguos”, deixa o espectador confuso quanto aos objetos: aparentemente, são cilindros, mas o reflexo no espelho é de prismas - ou vice-versa. Então, como é que a ilusão funciona?

O segredo da ilusão parece estar no facto de ser uma gravação e de a estarmos a ver num ecrã, o que limita o ângulo em que a vimos:

Como o objeto é rodado em frente a um visor, é mais difícil perceber qual é a verdadeira forma do objeto” e, por isso, “a ilusão não desaparece”, explica o professor.

Com a confusão entre prismas e cilindros, muitos internautas começaram a arranjar uma solução para a ilusão. De entre as explicações, a mais válida é que os objetos à frente do espelho não são exatamente da forma que achamos que são:

 

Explicação da ilusão no canal Make Anything // 3D Printing Channel do YouTube.

Apesar de parecer uma determinada forma geométrica, as elevações que possuem nas superfícies originam um reflexo diferente no espelho. 

A ilusão valeu o segundo prémio a Kokichi Sugihar, num concurso de uma organização que promove a investigação científica sobre a forma como os neurónios relacionam perceção e cognição, a Neural Correlate Society.