Uma mulher de Jeddah, na Arábia Saudita, conhecida por pedir nas ruas da cidade, morreu repentinamente em casa. Eisha tinha 100 anos, era cega e, ao contrário do que se pensava, possuía um património capaz de rivalizar com os milionários da cidade.

Os vizinhos da mulher ficaram surpreendidos quando viram uma ambulância a levá-la numa maca, mas ficaram ainda mais admirados depois de saberem que tinha deixado para trás uma fortuna avaliada em cerca de 700 mil euros.

«Eisha continuou a pedir, mesmo após a morte da sua mãe e irmã. Ela era apenas uma mulher velha, cega, que não tinha parentes», disse Ahmed al-Saeedi, que cresceu com a «mendiga».

«Pedi-lhe para desistir daquela profissão porque possuía uma enorme quantidade de riqueza, mas ela sempre se recusou e dizia que estava a preparar-se para tempos difíceis», acrescentou.

A sua morte continua a dar que falar. Depois de falecer, as famílias que viviam nas propriedades da saudita gratuitamente estão a ser obrigadas a desocupar o lugar, para que estas sejam entregues formalmente às autoridades.

Segundo um dos habitantes, este não era o desejo de Eisha.