Os membros do Partido Socialista da Venezuela lançaram uma nova versão da «Oração que o Senhor nos ensinou», ou seja do Pai Nosso católico para louvar o amado falecido líder amada do «socialismo do século XXI», o ex-presidente da República Hugo Chávez, implorar-lhe proteção contra os males do capitalismo, noticia o jornal britânico «The Telegraph».

« Chávez nosso que estás no céu/ na terra, no mar, em nós e nos delegados/ santificado seja o teu nome/ venha a nós o teu legado, para levá-lo aos povos daqui e de lá [internacionais]», diz a primeira parte do texto, que foi recitado na segunda-feira, por Maria Estrella Uribe, no congresso do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).

A oração prossegue dizendo « dai-nos hoje a tua luz/ para que nos guie todos os dias/ e não nos deixes cair na tentação do capitalismo/ mas livra-nos da maldade, da oligarquia/ como do delito do contrabando/ porque de nós é a pátria, a paz e a vida/ pelos séculos dos séculos. Amen, Viva Chávez».

Vítima de cancro em março de 2013, Hugo Chávez continua omnipresente na Venezuela. A fotografia do líder falecido está por toda a capital Caracas, a televisão pública repete trechos dos famosos discursos longos.

Em 2013, na Semana Santa, após o falecimento do líder da revolução bolivariana, várias orações foram distribuídas na Venezuela, entre elas a «Oração do Comandante» e o «Credo chavista».

Em Caracas, no populoso bairro «23 de Enero», nas proximidades do Quartel da Montanha, onde repousam os restos do líder socialista, um grupo de populares criou uma pequena capela de madeira a que deu o nome de «Capela Santo Hugo Chávez».

Bispos contra oração dedicada a Chávez

A Conferência Episcopal Venezuelana já condenou a iniciativa de transformar a oração do Pai Nosso numa versão política. Num comunicado distribuído em Caracas, os bispos referem que «o Pai Nosso é a oração por excelência dos cristãos do mundo inteiro, provém dos mesmos lábios de Nosso Senhor Jesus Cristo, no Sermão da Montanha (Mt 6,9-13) e por isso é intocável».

No texto, os bispos explicam que, «como não se permite a ninguém mudar a letra do Hino Nacional para honrar uma pessoa, tampouco é lícito mudar o Pai Nosso ou alguma outra oração cristã, como o Credo».

Para os bispos venezuelanos, «os símbolos, orações e elementos religiosos católicos devem respeitar-se» e a quem teve a ideia de fazer uma «versão nova e indevida do Pai Nosso» comete o pecado de idolatria, «por atribuir a uma pessoa humana qualidades ou ações próprias de Deus».

«Respeitando o afeto que muitos venezuelanos sentem pelo falecido Presidente é preciso recordar que o Pai Nosso faz parte do património sagrado da Igreja Católica e de todas as Igrejas Cristãs no mundo inteiro. Não é lícito modificá-lo, manipulá-lo, instrumentalizá-lo», acrescentam os bispos.