Um homem com anos de experiência a salvar pessoas como voluntário do Instituto Nacional de Salvamento no Mar (NSRI) sul-africano, teve agora de ser também de ser ajudado.

A ajuda chegou quando já toda a «tripulação» do seu barco estava a salvo em terra. E enquanto não houve assistência, Graham Anley foi novamente «obrigado» a salvar os ocupantes da embarcação.

A ordem dos resgates é que não cumpriu o lema «mulheres e crianças primeiro». Graham começou por salvar a cadela da família. E só depois é que foi buscar a sua mulher.

Durante uma viagem, Graham e Sheryl Anley foram forçados a abandonar o veleiro «Boundless», onde passavam férias, depois de embaterem num recife, no passado domingo, perto de East London, na Africa do Sul.

Os ocupantes do barco estavam devidamente equipados para este tipo de emergências com coletes salva-vidas; inclusivamente, Rosie, a cadela com nove anos, que também estava protegida com um colete apropriado às suas medidas, que incluía uma luz de emergência.

Quando o barco começou a afundar-se, o homem não perdeu tempo e resgatou imediatamente a cadela, levando-a até a costa, e regressando depois para ajudar a mulher que tinha ficado presa no mecanismo de direção do barco.

Após estes salvamentos, Graham chamou os serviços de emergência do NSRI, que trataram de colocar «toda» a família a salvo.

«Os esforços vão ser feitos pelo casal para conseguirem para salvar o que puderem do iate», informou o comunicado do NSRI.