Um estudo publicado na última semana na revista Science revela que há um fungo no estômago das cabras que pode ser usado para fabricar biocombustíveis melhores e mais baratos. Este fungo produz enzimas flexíveis capazes de descompor qualquer matéria vegetal.

O estudo, que também foi feito em ovelhas, focou-se na capacidade que estes animais têm de digerir o “indigerível”.

Os investigadores asseguram que o fungo é tão ou mais eficiente quanto as enzimas sintéticas. É esse fator que permite às cabras e ovelhas digerir uma grande variedade de materiais não comestíveis.

Isto pode abrir muitas oportunidades para a indústria dos biocombustíveis”, explicou Michelle O'Malley, a responsável pelo estudo.

Os biocombustíveis são produzidos através de produtos agrícolas, como o milho. Uma das críticas apontadas pelos ambientalistas tem precisamente a ver com o facto de se usar a terra para os produzir, o que faz com que o preço dos alimentos aumente.

Além disso, o facto de requererem um tratamento que envolve produtos químicos torna o processo mais complexo e mais caro.

Os investigadores já conseguiam produzir combustível através de resíduos de animais e de comida, mas esse processo não era economicamente viável para produção em massa.