Doze presos fugiram de uma prisão, no estado do Alabama, nos Estados Unidos, na noite de domingo, através de um método incomum. Os homens taparam os números que identificavam uma porta para o exterior, com manteiga de amendoim. Depois, conseguiram persuadir um novo funcionário da prisão a abrir essa mesma porta.

Mudar os números das portas com manteiga de amendoim pode parecer loucura, mas este tipo de pessoas são loucas como uma raposa”, disse o xerife do Condado de Walker, James Underwood, de acordo com a CNN.

Como os números identificadores da porta estavam tapados, com manteiga de amendoim, o guarda pensava que estava a abrir a porta de uma das celas, para que os reclusos entrassem, mas, na verdade, acabou por abrir uma porta que dava para o exterior da prisão.

Os presidiários aproveitaram o facto de haver um novo guarda na prisão, que estava a trabalhar na sala de controlo, a vigiar 140 presos.

O jovem era um elo fraco e eles sabiam disso”, explicou o xerife.

Para o xerife James Underwood, a situação foi causada por um erro humano.

Nós temos aqui algumas pessoas doentias. Eles planejam o tempo todo contra nós e contra os funcionários daqui da prisão. Temos que estar muito atentos. Desta vez cometemos um erro. Não vou arranjar desculpas. Foi um erro humano que fez com que isto acontecesse”, afirmou.

Depois de conseguirem chegar ao exterior da prisão, os reclusos cobriram o arame farpado, que tem cerca de 15 pés de altura, com um cobertor. James Underwood calcula que a fuga tenha demorado cerca de 10 minutos.

Nenhum dos fugitivos teve ferimentos graves, apenas um teve que ser assistido, porque fez um corte num dedo, ao trepar pelo arame farpado.

Onze dos 12 fugitivos foram capturados cerca de oito horas após a fuga. O outro preso foi apanhado terça-feira à noite. A maioria dos reclusos foi encontrada na área de Jasper, perto da prisão. Segundo a CNN, os fugitivos permaneceram juntos, depois de terem fugido, o que permitiu que a polícia os capturasse de forma mais rápida.

Os presos têm idades entre os 18 e os 30 anos e enfrentam acusações que vão desde desordem pública a tentativas de assassinato.