O chefe de cozinha René Redzepi, cujos menus fantasiosos e criativos incluem frequentemente formigas, publicou recentemente na rede social Twitter uma foto que pode enjoar os estômagos mais sensíveis.

Numa placa encontram-se três pedaços de margarina, manteiga com baixos níveis de gordura e manteiga natural, respetivamente, vendo-se as formigas à volta deste último pedaço. Na legenda, o chef escreve: "Identifico-me com as formigas."

A foto reflete o estilo que René escolheu para cozinhar e se alimentar. Um estilo que privilegia os alimentos naturais e integrais, em oposição aos aditivos artificiais. A combinação das formigas com a manteiga natural é uma forma simbólica de chamar à atenção para os benefícios da Mãe Natureza. Até as formigas detetam aquilo que é mais natural.

A margarina tornou-se popular durante a Segunda Guerra Mundial, por ser usada nas rações. A partir daí, gerou-se uma campanha que defendia que a margarina era a “escolha mais saudável”.

No entanto, já se sabe há muito que as gorduras artificiais, presentes em alimentos como a margarina, prejudicam a saúde. E os alertas vão surgindo.

"Nos anos de 1950 e 60, dissemos erradamente aos americanos que a manteiga e os ovos prejudicavam a sua saúde, convencendo-os a consumirem margarina, que é basicamente gordura trans. Já aprendemos que a gordura saturada é relativamente neutra – as gorduras trans é que são más para a saúde" -  revelou à CNN o Dr. Steven Nissen, reponsável de medicina cardiovascular na Cleveland Clinic

 
Em junho, a FDA ( órgão governamental norte-americano que regula os alimentos) afirmou que as gorduras artificiais tinham de desaparecer da dieta americana, considerando-as como “inseguras” para o consumo humano.
 
Por exemplo, há mais de uma década que a McDonald`s parou de fritar as batatas em gorduras trans. 

Já são muitas as personalidades que se uniram para apoiar a opinião de René, incluíndo o chef e também apresentador do programa Bizarre Foods, Andrew Zimmern.

Apesar do fenómeno só ter chegado agora às redes sociais, René já está a pensar em voos mais altos. O restaurante Noma (duas estrelas do guia Michellin), que abriu em 2004 na cidade de Copenhaga, Dinamarca, vai fechar. E será deslocado para um novo local em Sydney, Austrália. Sabe-se também que ao lado do novo restaurante, a chef vai criar uma moderna quinta urbana, onde pretende cultivar a maioria dos seus ingredientes.