No meio do inesperado, do mal o menos: os fiscais que passaram a multa por comércio sem licença chegaram a dizer à menina de cinco anos que a coima poderia ser de apenas 90 libras, cerca de 100 euros, caso fosse paga a pronto. Caso contrário, seriam 150 libras (uns 167 euros), quantia que ficou registada na nota de culpa. 

Sucede que o professor universitário André Spicer, pai da menina de cinco anos não pagou. Antes, protestou. Enviou uma mensagem para os serviços da freguesia de Tower Hamlets, no leste de Londres e resolveu contar o caso nos jornais. Nomeadamente, no The Guardian e no The Telegraph.

Limonada amarga

André Spicer, o pai, conta que a filha após uma quermesse na escola quis montar uma banca. Inicialmente, para vender brinquedos e comida.

Como é fácil entender, a menina acabou por desistir de vender os brinquedos. Descartou depois a comida e decidiu-se pela limonada. A família meteu mãos à obra, encheu uns quatro jarros, limpou uma velha mesa e colocou a banca na esquina da rua.

A meia libra por copo pequeno e uma libra por  um copo grande, com muita gente a passar a caminho de um concerto, rapidamente a limonada se esgotou. Só que meia hora depois, chegaram os fiscais. Passaram a multa por venda ilegal, com um prazo de 14 dias para pagar. Caso contrário, a factura seria mais elevada.

Lágrimas e desculpas

A menina desfez-se em lágrimas, segundo o pai, por pensar que tinha feito algo de muito errado. Houve que acalmar a criança e depois reclamar para os serviços da freguesia, considerando que o bom senso deveria fazer parte de quem aplica as leis. Ou dizendo por outras palavras, que não se pode confundir um posto de venda ilegal com uma banca de uma criança a vender copos de limonada.

Se há outras pessoas que foram multadas de forma semelhante, então isso é preocupante. Estamos a acabar com oportunidades para as crianças aprenderem", escreveu André Spicer, segundo relata o jornal The Guardian.

Aparentemente, o protesto, quiçá aliado ao grotesco da situação, surtiu efeito.

Pedimos desculpa pelo que aconteceu. Esperamos que os nossos fiscais demonstrem bom senso e usem o seu poder de forma sensata. Isso claramente não aconteceu", foram as palavras de um porta-voz dos serviços autárquicos do bairro de Tower Hamlets, que acrescentou que "a multa será cancelada imediatamente e já contatámos o professor Spicer e a sua filha para lhes pedir desculpas".