Um novo estudo revela que homens e mulheres financeiramente dependentes dos seus parceiros têm maior probabilidade de trair.
 

“Nem homens nem mulheres gostam de ser financeiramente dependentes dos seus cônjuges. A dependência financeira é um fator de desestabilização num relacionamento”, garante Christian Munsch, sociólogo na Universidade de Connecticut.


Depois de estudarem durante um ano 2750 pessoas casadas, com idades entre os 18 e os 32 anos, os cientistas concluíram ainda que é mais provável um homem trair se estiver dependente da parceira do que o inverso.

Segundo o estudo, enquanto há 5% de probabilidade de uma mulher trair o companheiro se for financeiramente dependente, a probabilidade cresce para 15% nos homens.

Os cientistas concluíram que o grupo mais propenso à infidelidade são homens 100% dependentes das mulheres, a nível financeiro. 
 

“Há qualquer coisa na masculinidade e nas normas culturais que veem o homem enquanto provedor, que torna os homens especialmente infelizes neste tipo de situações financeiras."



Segundo os resultados, quanto maior for o salário e o nível de independência de uma mulher, esta tem menor probabilidade de trair o companheiro. Aliás, mulheres que são responsáveis por 100% dos ganhos numa família pertencem ao grupo com menor probabilidade de trair.

Contrariamente, homens que ganham 70% mais do que as suas companheiras têm maior probabilidade de cometer adultério. Contudo, segundo os cientistas, as probabilidades são “significativamente mais baixas” do que quando os homens dependem financeiramente das mulheres.

O estudo afirma ainda que os casamentos mais estáveis são aqueles onde a contribuição financeira é equilibrada.