Yesha Callahan, editora da revista The Root classificou com apenas três estrelas um restaurante da cidade onde vive e horas depois o gerente do espaço estava a bater-lhe à porta de casa. O caso aconteceu na semana passada em Sterling, na Virgínia, nos Estados Unidos.

Quando Yesha Callahan deixou uma crítica na aplicação Yelp, de avaliação de estabelecimentos comerciais, não esperava obter resposta. Muito menos, aquela que teve. 

Após lhe ser entregue o hambúrguer, classificou-o como "seco e sem tempero". Além da falta de sabor, também apontou que não tinha alface, nem tomate e que a carne não seria fresca.

Por tudo isto, classificou o pedido com três estrelas. Horas depois, o gerente do restaurante apareceu em sua casa, às dez da noite, pedindo-lhe que fosse falar com ele.

De acordo com o jornal The Independent, que cita a revista The Root (cuja editora é a própria Yesha Callahan), ela terá recebido uma mensagem no telemóvel em que o gerente do novo restaurante na zona -  La Porchetta -, disse que "estava à porta de sua casa" e queria "falar com ela sobre a sua análise no Yelp".

Como vive sozinha, Yesha teve medo e decidiu ligar para a polícia, que assegurou ir enviar uma patrulha para vigiar a zona.

Desculpas

Perante o sucedido, que se tornou público, o restaurante defendeu-se dizendo que o gerente queria apenas fazer uma "segunda entrega", melhorando o pedido de Yesha Callahan. 

É lamentável que tenhamos passado a mensagem errada ao tentarmos fazer uma segunda entrega para corrigir o primeiro erro", disse um empresário do restaurante, segundo o The Independent

A aplicação Yelp também já se manifestou, referindo que lamentava a situação e que ia tomar as medidas necessárias para tratar do caso.

Quanto a Yesha Callahan, a cliente, foi clara desde o momento em que encomendou e provou o hambúrger, de que não gostou.

"Da próxima vez, se calhar vou pedir pizza", escreveu na sua conta no Twitter.