Um paramédico e o condutor de uma ambulância que, na madrugada de terça-feira, faziam o transporte de um ferido em estado grave para um hospital, em Benidorm, Espanha, perderam a vítima pelo caminho. Os dois socorristas garantem que a vítima se tornou agressiva e fugiu, mas ambos apresentavam um comportamento estranho e as autoridades acabaram por verificar que se encontravam sob efeito de canábis e cocaína. A vítima viria a ser encontrada caída na berma da estrada, inconsciente.

De acordo com o diário de Alicante, o jornal Información, o incidente teve origem numa rixa que envolveu um grupo de turistas britânicos. Um deles, agredido, ficou ferido e teve de receber tratamento hospitalar. Por ordem da polícia, a vítima entrou numa ambulância para ser conduzida ao Hospital Municipal de Vila Joiosa.

Horas depois, agentes da Polícia Nacional pediram informações sobre o estado da vítima junto das urgências hospitalares para poderem acrescentá-las ao relatório da polícia. Mas tanto na unidade hospitalar como no Centro de Informação e Coordenação de Urgências, não havia dados sobre a entrada do doente. A verdade é que o ferido nunca chegou a entrar no hospital porque o paramédico e o condutor da ambulância perderam o paciente e não deram conta disso.

Os socorristas acabaram por ser localizados na central onde estão estacionados os veículos de emergências e, nessa altura, contaram às autoridades que, a meio do trajeto para o hospital, a vítima, que estava inconsciente, acordou e começou a agredir o paramédico que o acompanhava. O motorista alegou que saiu do lugar do condutor e abriu a porta traseira para ajudar o colega, tendo a vítima aproveitado a ocasião para fugir.

Mas esta versão dos factos não convenceu as autoridades. A polícia acabou por localizar o cidadão britânico caído na berma da estrada, a cerca de meio quilómetro do hospital, inconsciente e deitado na maca onde tinha sido colocado.

Depois de voltarem a chamar a mesma ambulância para, finalmente, transferir o ferido para o hospital, os agentes da Polícia Nacional chamaram a Guardia Civil para realizar testes de álcool e drogas ao condutor e ao paramédico. Fontes judiciais e sanitárias, citada pelo Información, revelaram que os testes toxicológicos deram positivo para a presença de cocaína e canábis.

Os dois socorristas acabaram detidos e vão responder na justiça, por falhas graves na operação de socorro e por condução sob efeito de drogas.

De acordo com o jornal de Alicante, as autoridades de saúde exigem que a empresa que administra o serviço de ambulância suspenda de funções os dois trabalhadores.