Sean P. Thomson, um padre católico foi detido, no dia 24 de março, no estado do Alaska, nos EUA, depois de ter sido abordado por um polícia por condução perigosa. O agente descobriu, posteriormente, que o sacerdote tinha em sua posse uma arma de fogo e marijuana.

Segundo o «the Fairbanks Daily News», as autoridades que se encontravam numa autoestrada rural, perto da região de McKinley, repararam na condução descuidada do padre da Universidade de Fairbanks, no Alaska, que se deslocava em excesso de velocidade.

Quando o agente Christopher Bitz solicitou o registo do veículo, o homem de 52 anos entregou-lhe um recibo.

Apesar de Thomson ter alertado para a existência de uma arma de calibre 357, na parte de trás do camião, escondeu que tinha também no bolso de trás uma pistola de 9mm.

Depois de ter solicitado uma revista, o polícia rapidamente descobriu que o padre tinha escondido juntamente com a arma, marijuana.

Depois de ter admitido que se encontrava embriagado, o homem recusou-se a fazer um teste de alcoolemia.

Thomson acabou por ser detido e acusado de conduzir embriagado, recusa de fazer o teste de alcoolemia, posse de droga, posse de arma embriagado e, ainda, por ocultar às autoridades que também tinha uma arma de mão.

O Padre declarou-se inocente e, depois de ter pago a fiança avaliada em cerca de 3 500 euros, acabou por sair em liberdade. O coordenador jurídico da diocese do sacerdote disse ao jornal que apesar da continuação de Thomson, este terá sido colocado em licença administrativa.

Na próxima sexta-feira, o padre irá comparecer no tribunal de Fairbanks Rabinowitz