Um homem resolveu processar meio mundo em Nova Iorque e pedir uma indemnização inimaginável. Anton Purisima, de 62 anos, pede uma compensação de 2 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 dólares. Isso mesmo: um dois seguido de 36 zeros!

É mais dinheiro do que aquele que, na realidade, existe à face da Terra, que Anton pede a várias entidades, nomeadamente uma padaria, dois hospitais, um supermercado, a própria câmara municipal e mesmo a unidade de trânsito da cidade. Ele quer ser ressarcido por várias «violações de direitos civis, ferimentos pessoais, discriminação por origem nacional, retaliação, assédio, fraude, tentativa de homicídio, imposição intencional de sofrimento emocional e conspiração para defraudar», de acordo com informações publicadas pelo reputado «New York Post».

Ele reclama por um dedo que ficou infecionado quando um cão o mordeu num autocarro, por um casal chinês o ter fotografado dentro de um hospital, entre outras reivindicações.

O idoso entrou com o processo em tribunal através de uma petição redigida por ele próprio, à mão. Não apresentou advogado e representa-se a ele próprio.