Um homem italiano, com 50 anos de idade, é suspeito de ter comido 15 gatos pretos nos últimos dois anos, escreve o jornal britânico «The Independent». «Francesco F» foi acusado, defensores dos direitos do animais, de se fazer passar por um «amigo» dos animais, para conseguir adotar vários gatos pretos e, depois, os matar, cozinhar e comer.

A Associação Italiana de Defesa dos Direitos dos Animais, a AIDAA, já apresentou uma queixa contra «Francesco F». No documento acusam-no de «nos últimos dois anos ter comido, pelo menos, 15 gatos pretos».

Uma organização de acolhimento de animais da província Brianza, no norte da Itália, achou suspeito que o homem pedisse sempre para adotar: «um gato preto, com cerca de três anos, e mais para o gordinho», conta Lorenzo Croce, o responsável máximo da AIDAA, ao jornal italiano «La Stampa».

«Francesco F» adotava animais em diversos centro de acolhimento, mas todos começaram a suspeitar dos seus pedidos «específicos» e lançaram um alerta junto da AIDAA. «Inicialmente, pensámos que estivesse ligado a um grupo satânico», confessa Lorenzo Croce.

Com a desculpa de ter um gato preto para «oferecer», um voluntário de um centro vai à casa de «Francesco F» e encontra-o prestes a matar um gato, que ia cozinhar para o jantar. Confrontado pelo voluntário reage de forma confusa e questiona: «é proibido matar e comer gatos?»

De acordo com Lorenzo Croce, o homem admitiu que «matou e comeu» diversos animais nos últimos anos. Algumas vezes «na companhia de amigos». Foi detido e acusado de maus tratos a animais. Se for condenado em tribunal poderá ser condenado a 12 meses de prisão, escreve o jornal «Local.it».