Um menino de dois anos foi acusado de roubo, juntamente com outros três adultos, um deles seu parente. O assalto aconteceu a 20 de setembro, na aldeia de Bajehra, no distrito de Sitapur, na Índia. A polícia tentou prender a criança na última terça-feira, obrigando o pai do menino a deslocar-se a tribunal e explicar a situação.
 
O nome do pequeno Ravi, assim se chama a criança, foi identificado pela vítima do roubo e por outros habitantes da aldeia. Com base na queixa apresentada, a polícia registou a ocorrência identificando quatro homens, entre eles Ravi, avança a agência indiana Press Trust.
 
Os quatro estavam acusados de “roubo”, “invasão de propriedade durante a noite”, “receptação de material roubado”. Não é claro como o nome de Ravi foi parar à queixa, mas sabe-se que um dos adultos implicados é seu familiar.
 
O nome de Ravi já foi entretanto retirado da queixa e os três adultos foram detidos.
 
A lei indiana só permite processos criminais a cidadãos maiores de sete anos. Mas ainda no ano passado um menino de um ano foi acusado de “coerção” num processo eleitoral.
 
E a situação repete-se no vizinho Paquistão, onde uma criança de nove meses foi acusada de planear um homicídio, de ameaça à autoridade e de interferir com assuntos de Estado.