Um clérigo saudita disse, numa entrevista na sexta-feira a um jornal islâmico, que as mulheres que conduzem estão sujeitas a ter problemas nos ovários e os filhos podem não nascer saudáveis, conta a Reuters.

O conservador Saleh bin Saad al-Lohaidan tentou deste modo contrariar o movimento que incita as mulheres a desafiarem a proibição e a acabarem com o monopólio masculino das estradas na Arábia Saudita.

Na Internet, circula uma convocatória para uma manifestação no dia 26 de outubro contra a proibição das mulheres conduzirem naquele país.