Para livrar a avó da solidão, uma jovem de 24 anos leva a idosa consigo para o trabalho. A mulher de 88 anos acompanha a neta, todos os dias, para o restaurante que esta tem, sendo, por vezes, carregada às cavalitas.

Huang Lihua diz que quando era criança, os pais enviaram-na para casa da avó Wan Zongsiu, no campo, pois precisavam de trabalhar. Esta era uma situação comum nas gerações passadas mas para Huang foi mais do que isso.

A jovem residente no sudoeste de Chongqing, município da China, considera que deve retribuir à avó o que em tempos viveu. «O tempo que vivi com a minha avó foi um dos mais felizes da minha vida. Eu era muito jovem, na verdade, eu tinha apenas dois anos, mas lembro-me que a minha avó foi muito gentil em levar-me para todo o lado».

A jovem relembra que a avó nunca a deixava em casa sozinha e havia sempre «boa comida e muito amor».

Quando Huang começou a frequentar a escola voltou para a cidade, mas reforça que «nunca» esqueceu «o tempo com a «avó».

Huang tinha um objetivo: terminar a escola e começar o seu próprio negócio. A jovem conseguiu o que queria e não podia excluir a avó da sua vida.

«Eu tenho tudo que eu quero na minha vida agora, um namorado que eu amo muito e um negócio que corre bem. Por isso, era natural para mim que deveria pensar na minha avó, que me deu tanto e me lançou tão bem na vida».

Desta feita, a jovem decidiu trazer a avó consigo para a cidade pois tal como diz «há sempre coisas a acontecer e muitas pessoas para conversar», o que deixa a idosa feliz.

Nos dias bons, a avó caminha com uma bengala, o que para Huang é «imperdível».