A febre do iPhone 6S é tão grande na China que os bancos de esperma estão usá-lo como estratégia para atrair dadores. Dois centros de doação vão pagar o equivalente ao preço do novo modelo da Apple, cujas pré-encomendas esgotaram no país em 12 horas.

A escassez de doações de esperma em algumas províncias da China é tão grande que alguns bancos de sémen pensaram numa estratégia de marketing que está a atrair a atenção dos chineses. Dois centros usaram o WeChat e o Facebook para informar os possíveis voluntários que se doassem esperma lhes seria oferecida a quantia necessária para comprar um iPhone 6S.

No Facebook de uma das clínicas podia ler-se no anúncio: “O banco está à procura de dadores entre os 22 e os 45 anos, que podem receber 700 euros, enquanto o iPhone 6S tem um custo de 730 euros”.

"Um iPhone 6S custa pelo menos 5.288 yuan (cerca de 730 euros) na China continental, poderás agora obtê-lo sem ter que dar um rim em troca", escreveu o laboratório na popular aplicação WeChat do outro centro, segundo o jornal China Daily.


A obsessão dos chineses com os produtos da Apple fez com que, em 2012, um jovem chinês de 17 anos vendesse um rim a uma rede de tráfico de órgãos, para comprar um iPad e um iPhone.

A utilização do telemóvel para fins de marketing não é uma surpresa, uma vez que as receitas da Apple na China cresceram 110% o ano passado. 20% das pré-encomendas do iPhone 6S pertenciam ao país.

De acordo com o jornal China Daily, a campanha publicitária está a ser um sucesso e, desde que foi publicada nas redes sociais, já foi vista mais de 400.000 vezes.