Na China há uma nova forma de conseguir um empréstimo monetário que está a preocupar as autoridades. Tudo porque há credores a oferecerem empréstimos a jovens universitárias em troca de fotografias nuas.

De acordo com o People’s Daily, o esquema foi montado por um grupo de credores chineses que usa as fotos enviadas pelas universitárias como garantia do empréstimo.

Quando tiram as fotografias as jovens tem de segurar um cartão de identificação para que as fotografias sejam publicadas na internet caso as jovens falhem o pagamento das prestações dentro do prazo estabelecido.

E é este cartão – que é visível em algumas fotos divulgadas pelo mesmo site – que garante o acesso a empréstimos no valor de 15 mil yuans (cerca de dois mil euros) com um máximo de 36 prestações.

O mesmo site revela que uma das mulheres que pediu um empréstimo de 120.000 yuans (16.250 euros) através da plataforma viu o valor duplicar em cerca de quatro meses. Para que a sua fotografia não fosse divulgada na internet, a jovem teve de pedir dinheiro aos pais, mas a imagem acabou por ser publicada.

Segundo o People’s Daily, o esquema é feito através do site JD Capital’s Jiedaibao, uma plataforma onde é possível fazer empréstimos com termos acordados com os credores. Depois de a prática ter sido tornada pública, um porta-voz da plataforma garantiu que a empresa condena este tipo de empréstimos e que está a colaborar com a polícia para investigar e travar a prática.

Na rede social Weibo, há reações contraditórias face a este tipo de empréstimos. Se há quem critique a prática, há também quem critique as raparigas que recorrerem aos “empréstimos nús”.

“Elas não merecem empatia” ou “Só devias gastar o dinheiro que consegues ganhar por ti própria” são alguns dos comentários que podem ser lidos na rede social.