Uma menina irlandesa de três anos viu a sua carta ao Pai Natal ser devolvida agora porque a morada escrita no remetente era insuficiente, o que causou um verdadeiro incidente na família.

Alan Campbell, o pai, teve que arranjar uma explicação para a filha de oito anos que leu o carimbo dos correios. Afinal, por que é que a carta da irmã não tinha chegado à Lapónia como a sua?

O pai deu graças por dias antes do Natal, as meninas terem tido um encontro com um Pai Natal e terem assim feito os pedidos de presentes, senão, como saberia o velhinho das barbas que prendas trazer às crianças?

Problemas difíceis para um pai, sinónimo de uma crise familiar quiçá.

Alan Campbell desabafou no Twitter o seu desagrado com o serviço postal irlandês. A mensagem acabou por chegar ao conhecimento dos serviços, que endereçaram desde logo as suas desculpas à família e prometeram recompensar a menina, com uma carta «especial».

O pai declinou o presente.

Os serviços postais lamentaram o sucedido. «Nunca deveria ter acontecido», citou a BBC, mas os correios irlandeses acrescentaram que este ano «ajudaram o Pai Natal» a responder a cerca de 140 mil cartas. Talvez todas. Menos a carta do membro mais novo do clã Campbell.