Um pai resolveu «despachar-se» numa encomenda postal para poder ir de Londres até Perth, na Austrália, ao aniversário da filha.

A decisão de se fazer passar por uma encomenda surgiu entre copos, à mesa de um bar. Reg Spiers, de 22 anos, estava sem dinheiro para pagar um bilhete de avião, pelo que arranjou uma maneira mais económica de chegar a tempo dos anos da filha.

Uma caixa com cerca de um metro por metro e meio e meia-dúzia de alimentos, garantiram-lhe a sobrevivência durante a viagem de 63 horas.

Com a ajuda de dois amigos, o enorme pacote foi remetido de uma empresa de químicos falsa no Reino Unido com destino a uma fábrica de sapatos (também falsa) na Austrália, e a pagar no destino.

Apesar da dose de loucura, Spiers ainda pensou em alguns pormenores. Por exemplo, arranjou maneira da caixa se abrir durante a viagem e no voo entre continentes, apanhou ar e até passeou pela zona de cargas.

Quase três dias e 21 mil atribulados quilómetros depois, o homem conseguiu chegar a Perth e evadiu-se do aeroporto.
A história tem 50 anos, mas foi agora passada a livro. A vida louca de Reg Spiers, um australiano que foi campeão de dardo e condenado à morte no Sri Lanka.

Uma vida para além de uma caixa, mas que cabe num livro, de um homem que hoje, com 73 anos, nem sempre foi um pacato cidadão a viver numa casinha de Adelaide, na Austrália, com a mulher e dois cães.

Quando o australiano se meteu na caixa, em 1964, tinha ido dar uma volta ao mundo com a namorada, viajando, fumando e traficando droga. As drogas – da heroína à canábis - fizeram parte da sua vida e iam acabando com ela. Foi preso por tráfico mais do que uma vez e condenado à morte pelo mesmo crime no Sri Lanka, em 1984, mas esta pena acabou por ser convertida.

Aos 73 anos, sobreviveu para contar a sua história e, pelos vistos, continua cheio de vida, segundo o «Daily Mail». O filho é um dos coautores desta biografia que mais parece um livro de ficção.