Michelle Chapman, de 24 anos, foi condenada a um ano de prisão depois se ter insultado no Facebook através de contas falsas. No entanto, a britânica alegava que os insultos provinham do pai e da madrasta.

Os insultos, de cariz sexual, faziam parte de um plano de vingança contra o pai e a madrasta, com quem se tentou encontrar depois de 21 anos sem qualquer contacto. O encontro não correu como esperado e Chapman planeou um ataque nas redes sociais.

A mulher começou por criar uma conta para a madrasta, Louise Steen, que foi usada para enviar mensagens abusivas para o pai, na tentativa de separá-los.

Mais perfis, supostamente de familiares, foram criados e controlados por Chapman e ao longo do ano enviou mensagens de «caris sexual muito desagradável» para a sua própria conta.

«Ela disse que se queria vingar do pai por causa de questões do passado. Ela queria transformar as suas vidas num inferno», afirmou o procurador Philip Lee ao news.com.au.

Em tribunal, Chapman admitiu ter cometido ações que tentavam manipular a justiça e foi detida durante 20 meses. A mulher foi ainda proibida de ter equipamentos informáticos e de se aproximar das vítimas.