Um taxista brasileiro envolveu-se numa luta e foi esfaqueado três vezes no tronco e uma na cabeça. O que não se apercebeu foi que ficou com a arma espetada no crânio, e seguiu o seu caminho.

De acordo com a CNN, Juacelo Nunes de Oliveira, de 39 anos, demorou mais de três horas até ver que tinha sangue a escorrer desde a cabeça até ao maxilar.

«Ele teve uma faca alojada na cabeça durante este período, mas não se apercebeu disso», afirmou o cirurgião geral Gilberto Albuquerque, que assistiu Juacelo, em declarações à CNN.

«Acreditamos que o choque e a bebida terão ajudado a que não entendesse que ainda tinha a faca na cabeça», acrescentou.

Inicialmente homem foi transportado para o hospital mais próximo, mas acabou por ser transferido para a Emergência do Hospital de Teresina, a cerca de 100 quilómetros do local, onde foi operado e tratado.
Imagens dos raios-X mostram a faca a sair por trás do olho esquerdo sem afetar o nervo ótico. Segundo os médicos, a arma só parou quando atingiu a mandíbula inferior.

Para além deste insólito episódio, do confronto na festa em Agua Branca, no norte do estado de Piaui, resultou ainda uma perfuração no pulmão.

Com a arma removida com a necessária delicadeza depois de uma operação de duas horas e meia, Juacelo deixou o hospital pelo próprio pé e com todos os sentidos intactos, apenas cinco dias depois de ter dado entrada. 

«Ele podia ter ficado cego e ter perdido o olfato e paladar, mas nada disso aconteceu e ele está vivo e saudável», afirmou o cirurgião à 9News.