Um abusador sexual conseguiu fugir de uma prisão numa ilha da Noruega, usando uma prancha de surf e uma pá de plástico para remar até ao continente. A situação insólita foi confirmada pelas autoridades à agência Reuters, esta quarta-feira.

O recluso que conseguiu escapar é um jovem na casa dos 20 anos que não é considerado perigoso para o público em geral. O homem desapareceu durante a noite e, no continente, a polícia encontrou uma prancha de surf e uma pá que pertencem à prisão, a três quilómetros de distância.

“Parece espectacular quando acontece desta forma. Mas se não tivesse sido uma prancha de surf tinha sido outra coisa qualquer. Não é difícil encontrar um objeto flutuante na ilha”, afirmou o chefe da prisão, Tom Eberhardt, à Reuters.


O estabelecimento prisional de Bastoy é conhecido pela baixa segurança. Sem cercas, nesta prisão os reclusos podem circular de bicicleta, dedicar-se a tarefas como a agricultura ou a cozinha e até usar as praias locais.  Serial killers, violadores e traficantes de droga estão entre os criminosos que são preparados, nesta ilha, para uma futura integração na sociedade.

A maioria, no entanto, começa a cumprir pena em prisões de alta segurança e só depois consegue transferência para Bastoy. E nem todos conseguem ir para a ilha, uma vez que um grupo de especialistas é que escolhe os presos que são apropriados para a experiência.

Apesar da baixa segurança, as fugas em Bastoy são raras. Quando acontecem, não há regresso possível, como esclareceu Tom Eberhardt.

“Se a pessoa foge, não há bilhete de regresso."