Uma aparente fuga de gás numa universidade pública australiana, em Melbourne, obrigou, no último sábado, à retirada de mais de 500 alunos e professores.

Aparente porque, afinal, era apenas o cheiro libertado por uma peça de fruta podre.

Aconteceu no Instituto Real de Tecnologia de Melbourne (RMIT), quando um grupo de alunos começou a sentir um cheiro forte a gás na biblioteca daquele espaço, conta a BBC

Por tratar-se de uma universidade tecnológica, dedicada à investigação, onde há muitos químicos inflamáveis, os bombeiros e a polícia decidiram evacuar o local por precaução. 

Foi então que perceberam que o cheiro a gás tinha origem numa fruta podre esquecida dentro de um cacifo. 

A fruta encontrada foi um durião, cujo odor é extremamente intenso e repugnante, ao ponto de em algumas partes da Ásia ser proibido o seu consumo em espaços públicos. 

Os bombeiros que evacuaram o RMIT acreditam que foi através do ar condicionado que o cheiro se propagou pelo edifício, que horas mais tarde acabou por ser reaberto.