Uma mulher na Austrália, a quem o marido sempre fez acreditar que tinham pouco dinheiro, só descobriu que era rica quando pediu o divórcio. Após décadas de casamento marcados por dificuldades financeiras e discussões que culminaram em violência doméstica, a mulher de 63 anos contactou um advogado para saber a que bens do casal tinha direito e acabou por ter uma surpresa que a deixou chocada.

Johanne (nome fictício) explicou ao site news.com.au que o marido era quem geria as contas bancárias e as finanças domésticas

[Ele] sempre me fez acreditar que tínhamos pouco dinheiro e eu tinha um orçamento semanal para as compras do supermercado. Quando eu precisava de mais dinheiro para as crianças ou para mim ele dizia que não havia e que tínhamos de passar sem o que pedíamos. Até dizia que estávamos com dificuldades para pagar as contas básicas da casa e que tinha de abdicar de luxos e fazer o possível para poupar", contou.

Quando descobriu que a realidade afinal era outra, esta mulher de Gold Coast, uma cidade a sudeste de Queensland, que sempre acreditou no marido, revelou-se chocada.

Depois de nos separarmos descobri que éramos proprietários de 15 terrenos e tínhamos contas bancárias com milhares de dólares. Senti-me tão enganada. Nem queria acreditar que vivi com dificuldades durante tanto tempo", sublinhou.

 

"Acabei por receber metade dos bens e tornei-me financeiramente independente pela primeira vez na vida. A primeira coisa que fiz foi ir ao cabeleireiro pintar o meu cabelo cinzento pela primeira vez, pois nunca pensei ter dinheiro para isso quando era casada", revelou.

A advogada de família Marie Fedorov disse também ao news.com.au que casos como o de Joanne são comuns e que muitas mulheres, especialmente as mais velhas, têm dificuldades em administrar as próprias finanças após o divórcio.

Muitas vezes, um dos membros do casal gere as finanças, deixando o outro completamente no escuro", explicou.

"Percebi que é comum entre pessoas com mais de 55 anos ser o homem a controlar as finanças e, em muitos casos, a mulher confia e acredita totalmente no parceiro", acrescentou.