Uma menina australiana de nome Emily Schilling já tinha feito o luto pela gatinha de estimação Pippa, que desapareceu a 20 de fevereiro, em Darwin, no norte da Austrália. Mas um telefonema providencial, feito de um local a 3500 quilómetros de distância, deu-lhe novo alento quando ela já tinha perdido a esperança.

Rebecca Schilling, mãe de Emily Schilling, contou ao site Mashable Australia, que no dia 10 de abril, quando ela atendeu a chamada, um homem ao telefone disse-lhe: “Sou Jason King, o seu ex-vizinho. Nós mudámo-nos para Queensland e encontrámos a sua gata numa das nossas caixas.”

O felino aninhou-se numa das caixas que se destinavam a ser transportadas para Brisbane.

“A gata deve ter pensado que era um lugar agradável para estar e arranjou ali um cantinho como se estivesse em casa”, acrescentou Rebecca Schilling.

Quando a família King abriu a caixa 49 dias depois, os pertences estavam cobertos de fluídos corporais e de pelos. A gata sobreviveu sete semanas sem água, sem comida e quase sem ar.

O serviço veterinário do estado de Queensland afirmou que foi um verdadeiro milagre a gata ter sobrevivido tanto tempo. O animal, que perdeu muito peso e está muito desnutrido, foi colocado sob a supervisão de um veterinário e deverá voltar para casa nas próximas semanas. A viagem, desta vez, será de avião.