Trabalhar nos Correios é uma profissão de risco, que o diga este posto australiano de uma cidade do interior da Austrália. Em Kalgoorlie, na zona ocidental do país, as autoridades encontraram 94 répteis nativos, de 21 espécies diferentes, alguns raros e outros altamente venenosos, distribuídos por seis pacotes normais.

Muitas cobras (como a chicote, a Mulga ou rei-castanha, a pitão Stimson ou a Morte Adder), mas também lagartos (Gecko e de cauda curta, por exemplo) teriam por destino o mercado negro, onde algumas das espécies protegidas poderiam custar cerca de 100 mil euros.

"É cruel e desumano enviar répteis pelos correios. Ficam sujeitos tanto a temperaturas altas como baixas e isso pode matá-los", disse Matt Swan, um dos responsáveis do Serviço de Parques e Vida Selvagem do Departamento de Biodiversidade, Conservação e Atrações da Austrália (Parks and Wildlife Service at the Department of Biodiversity, Conservation & Attractions no original).

Matt Swan lembrou, ainda, que os pacotes não eram seguros para o transporte e que as cobras poderiam ter fugido, colocando em perigo a vida das pessoas.

Em comunicado divulgado no site do organismo público, consta também a informação de que pelo menos cinco dos animais foram encontrados mortos ou acabaram por morrer desde que foram salvos, o que aconteceu na semana passada.

Até ao momento ninguém foi acusado de tráfico de animais, mas a investigação continua a decorrer.