«Ele queria agarrar a minha cabeça. Usei as mãos para me proteger. Agora estou bem. Tenho alguns arranhões no rosto, nos braços e nas costas. Mas estou bem», explica Moravec.

A mãe de um dos elementos do grupo alvejou três vezes o urso, segundo os media locais, mas o predador só foi morto pelas autoridades, como cita a Sky. 

«Acho que há uma tendência das pessoas, mesmo antes do eclipse, viajarem para aqui e não saberem onde se estão a meter. As condições atmosféricas e os ursos podem ser perigosas», afirma o gerente do hospital, Aksel Bilicz.