O galo de Barcelos que foi ao espaço e que agora «mora» na Galiza, onde aterrou, vai visitar no sábado a sua «cidade natal», pela mão do cidadão que o encontrou no seu quintal, informou esta sexta-feira o responsável pela iniciativa.

Segundo Marco Neiva, a visita acontecerá a pedido «de muitas famílias» e terá lugar em pleno recinto da Mostra de Artesanato de Barcelos, onde pontificam os galos de Barcelos.

Na mostra, podem já ser vistas as mensagens que os artesãos do concelho escreveram expressamente para o «galo astronauta» levar «na bagagem» para a sua subida até mais de 33 mil metros de altitude. Uma aventura que teve lugar a 27 de julho, com partida de Barcelos, num balão movido a hélio e que, além do galo, levou vários sistemas de localização e duas câmaras, que captaram imagens ao longo de todo o voo.

À partida, o balão tinha cerca de dois metros, mas foi aumentando de volume à medida que ia subindo, tendo rebentado quando atingiu 33.252 metros de altitude.

Acabando por cair, uma hora e 45 minutos depois de ter sido lançado, num quintal em Melon, na Galiza, Espanha, a cerca de seis quilómetros do local inicialmente calculado.

Os responsáveis pela iniciativa já se tinham, entretanto, posto a caminho, acabando por localizar o dono do quintal.

As imagens captadas pelas câmaras mostram a cara de espanto do dono do homem, que acabou por ser «premiado» pelos autores da iniciativa, ficando na posse do «primeiro português a ir ao espaço».



Como sublinha Marco Neiva, trata-se de «um galo necessariamente pequenino, porque a leveza era uma das exigências para o sucesso da viagem, mas ao mesmo tempo é um galo com grande valor simbólico».

As mensagens que os artesãos escreveram para a odisseia, entre as quais «Viva o galo que voa mais alto», foram recolhidas, estando agora expostas na Mostra de Artesanato de Barcelos, que decorre até domingo.

É nesta mostra que o cidadão galego vai exibir, este sábado, o «histórico» galo.

Além de Marco Neiva, um barcelense que quis fazer um vídeo viral para promover aquele que é já um símbolo do concelho e de Portugal, no projeto estiveram também envolvidos engenheiros aeronáuticos do Instituto Técnico de Lisboa que estão a fazer investigação para criar uma solução de balões atmosféricos reutilizáveis e controláveis.

O vídeo, colocado na Internet, já tem mais de 102.500 visualizações.