Trinta segundos de vídeo, um pequeno-almoço com uma colega, aparentemente no local de trabalho, e uma guia de marcha para sair do país. No mínimo, já que o egípcio foi prontamente preso, por ordem do Ministério do Trabalho e Desenvolvimento Social.

Conta a britânica BBC, na sua página na internet, que o egípcio cometeu, pelo menos, duas veleidades: tomou o pequeno-almoço com uma mulher, tudo indica, colega de trabalho e saudita, e publicou um vídeo em que fala e revela pelo sotaque do seu Árabe, a sua proveniência.

Apesar da colega ter o rosto tapado, a refeição partilhada viola as leis da Arábia Saudita, onde em locais de trabalho ou restaurantes, famílias e homens solteiros têm que se sentar em áreas diferentes. Aliás, em muitas situações públicas, elas têm de estar acompanhadas pelos seus guardiões do sexo masculino: o pai, o marido, um irmão ou até um filho.

Blasfémia das blasfémias, que mais comentários e reprovações tem gerado na rede Twitter, no final do pequeno vídeo, parece que ela dá comida à boca ao colega egípcio. Só visto...

Punição para ela

Divulgado o filme, partilhado e sobretudo comentado por dezenas de milhares de pessoas, o egípcio foi preso e, ao que se sabe, será deportado.

Ainda assim, enquanto uns condenam a rigidez das leis - quando o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman tem proclamado uma abertura de normas e mentalidades, com a recente permissão dada às mulheres para poderem conduzir e até ir ao futebol - outros e outras reclamam uma punição para a saudita que surge no vídeo, de véu, apenas com os olhos à mostra.

Gostava de entender porque são os homens constantemente punidos e não as mulheres. Sou uma saudita e ela seja castigada com ele. Risos, comer no local de trabalho ... onde estão os seus limites?", escreveu Malak, que se apresenta na rede Twitter como uma mulher.

Fora do reino saudita, no Egito, a surpresa e indignação pela sorte do compatriota não se fez esperar. O apresentador de televisão Osama Gaweesh disse ter ficado confuso com a prisão.

Mohammed bin Salman quer uma nova Arábia Saudita aberta com shows, cinemas, praias e uma visão de 2030?", questionou na rede Twitter.