Anna Mae Blessing, uma norte-americana de 92 anos, matou o filho, de 72 anos, depois de perceber que o homem a queria internar num lar de idosos. 

O crime aconteceu na manhã de segunda-feira na casa onde a idosa vivia com o filho e a namorada deste, em Fountain Hills, nos Estados Unidos. 

Anna Mae não gostou que o filho a quisesse deixar ao cuidado de terceiros e foi confrontá-lo. 

Segundo a BBC, a idosa foi conversar com o filho no quarto, mas levou duas armas escondidas no bolso. A conversa não estava a correr bem quando Anna Mae decidiu "matar o mal pela raíz", acabando por disparar sobre o próprio filho com dois tiros, um no pescoço e outro no queixo.

A namorada da vítima, uma mulher de 57 anos, que se encontrava também no local, foi ameaçada, mas ao contrário do homem conseguiu sobreviver, fugir e ligar à polícia. 

Quando a polícia chegou ao local, Anna Mae estava sentada numa cadeira no quarto. A idosa disse às autoridades que merecia morrer depois do que tinha feito.

 Tiráste a minha vida, por isso tirei a tua", terá murmurado a idosa, enquanto foi retirada de casa pela polícia.

De acordo com os documentos do processo que chegaram a tribunal, o filho de Anna Mae, cujo nome não foi revelado, queria que ela se mudasse para um lar porque estava a ser "difícil viver com ela".

A mulher foi acusada de homicídio em primeiro grau, agressão e sequestro.