Um político do Partido Trabalhista britânico está a gerar polémica nas redes sociais, depois de ter tirado uma selfie no local onde dezenas de turistas foram assassinados, a maioria britânicos.

Amran Hussain, que foi candidato pelo Partido Trabalhista nas últimas eleições, foi fotografado a segurar um selfie stick e a posar para uma câmara, no local onde 38 turistas tinham sido assassinados apenas 48 horas antes.

O político estava de férias na Tunísia com amigos e fotografou-se junto a a uma pilha de flores e tributos deixados no local, em memória das vítimas.

A imagem está a correr as redes sociais e tem gerado duras críticas no Twitter. Muitos usuários têm apelidado Hussain de “desgraça” e “vergonha”.

 
 

O candidato tinha afirmado nas redes sociais que estava hospedado num hotel perto do local onde o atentado teve lugar. Hussein disse não ter presenciado o ataque, mas que conseguiu ouvir os tiros enquanto estava na varanda.

Para além disto, o político afirmou ainda estar solidário com a situação e que não retiraria a pulseira do hotel do pulso, para poder recordar o sucedido.
   
Amran Hussain já voltou a Inglaterra e fez um pedido de desculpas público, através do Facebook, pelas fotos tiradas.
 

“Tiramos fotos e publicamo-las por muitas razões, para relembrar, para mostrar que os entes-queridos dos familiares são  lembrados e para mostrar aos tunisinos que queremos saber e que estamos em dívida com eles para sempre por terem arriscado as suas vidas para salvarem as nossas. Peço desculpa do fundo do coração a quem possa ter ofendido”.