Nem Laura, nem Martin G., nem 12 anos de casamento, nem divórcio, nem bens divididos, literalmente, ao meio. Não passou de um golpe publicitário o vídeo do divorciado alemão, que teria filmado e partilhado nas redes sociais uma divisão de bens decretada em tribunal.
 
Tinha tudo para ser uma história original de desamores, mas acabou por ser um conto do vigário. Milhões visualizaram o vídeo no Youtube, que atravessou meio mundo, de Portugal à China, afinal um ponto de partida “humorístico” para uma “chamada de atenção” legal.
 
Por trás da ideia, uma revista alemã online de Direito, a “Deutsche Anwaltauskunft”, pertencente à Ordem dos Advogados da Alemanha (DAV), que fez um mea culpa no seu site.
 
O objetivo era apenas, e humoristicamente, “chamar a atenção para um problema que não é apenas relevante na Alemanha, o de que muito poucos casais acautelam a possível separação quando casam, redigindo acordos pré-nupciais”. “O advento do divórcio acaba muitas vezes em disputas litigiosas, que afetam não só os bens como os casais e os seus filhos”, justificou a Deutsche Anwaltauskunft.
 
Dizem que não anteviram a repercussão mundial de “Martin G.”, o marido de coração partido ao meio, dos inúmeros pedidos de entrevistas, e que por tudo isto, e milhões de visualizações no Youtube depois, decidiram “confessar”.
 
Para o final ficou um pedido de desculpas por inteiro e a garantia de que os bens divididos estão mesmo à venda no ebay, onde a história é igualmente revelada para não enganar os compradores. O que for vendido será doado a instituições de caridade, asseguram.

Recorde as imagens que correram mundo: