Um voo da Air India, que fazia a travessia entre Nova Deli e Milão, foi interrompido depois de alegadamente ter sido avistado um rato na cabine do avião. Uma aterragem de emergência foi forçada por precaução, mesmo sem provas da presença do roedor.

O avião AI-123 viajava há duas horas, encontrando-se já no espaço aéreo do Paquistão, quando surgiram as queixas.

A tripulação procurou o animal na cabine, mas não encontrou quaisquer sinais da sua presença. Apesar disto, por precaução, o avião retornou ao aeroporto de Nova Deli para ser fumigado.
 

“O avião que fazia a ligação Deli - Milão teve de retornar a Deli, devido a uma suspeita de avistamento de um rato. Apesar da presença do roedor não ter sido confirmada, mantendo a segurança dos passageiros em mente, o avião regressou ao aeroporto. A Air India dá a máxima importância a questões de segurança e está a investigar o incidente. Contudo, o avião vai ser fumigado por precaução”, afirmou a porta-voz da companhia aérea à AFP.


De acordo com a mesma fonte, o procedimento é obrigatório para certificar que o roedor é eliminado e não se torna uma ameaça para a segurança do voo. A presença de um único rato pode trazer problemas se este roer fios elétricos e danificar os sistemas.

“Ratos a bordo podem representar uma catástrofe se começarem a roer fios elétricos. Se isso acontecer, os pilotos perdem o controlo do avião, o que pode conduzir a um desastre”, disse um comandante, em entrevista ao The Times of India.


A companhia garante que este “é um fenómeno universal” que “acontece em todo o mundo”, pois é normal a situação acontecer quando os ratos se infiltram nas carrinhas que transportam o catering.

Contudo, esta não é a primeira vez que um voo da Air India teve de ser interrompido por causa da presença de ratos. Em maio deste ano, um avião teve de aterrar em Leh, na Índia, depois de terem sido avistados alguns roedores e, em agosto de 2014, dezenas de ratos invadiram o voo AI021.